• Home /
  • Sobre /
  • Contato /
  • Categorias
  • Sabor de chuva


    "Josielma Ramos"

    Eu tinha planos para essa noite,
    Eu ia ficar em casa fingindo que não existo,
    Assim como tenho feito todos esses dias,
    Mas como tudo em você me chama,
    Eu não resisti,
    Me vesti,
    E fui...
    Você me faz existir!

    Chovia, mas eu tinha que te ver,
    Meu corpo chamava por você,
    Tenho sonhado e me revirado na cama,
    Tenho tentado disfarçar,
    Venho mentindo para todos,
    Fingindo que não sinto,
    E eu sinto,
    Demais esse amor.

    Esse amor que aflora,
    Que me invade e toma conta,
    Esse amor que extrapola,
    E foge, explode,
    Esse sentimento que pensei estar morto,
    Que pensei não existir mais,
    Que não sentiria nunca mais.

    Está vivo,
    E como está,
    Esse sentimento não quer se apagar,
    Incendeia,
    Eu te quero todo para mim,
    E por isso eu fui.

    Cheia de desejo por esses olhos negros,
    Cheia de fogo,
    O frio era só na pele,
    Pois por dentro eu ardia,
    Queimava,
    Eu te queria.

    Eu fui,
    E ao te encontrar o tempo parou,
    Para nos contemplar,
    Meu frio cessou,
    E seu beijo me esquentou,
    Beijo com sabor de chuva,
    Com sabor de desejo,
    Quero para sempre te beijar,
    E jamais desse sonho despertar.

    Segregação

    Imagem: We heart it
    "Josielma Ramos"

    Era vergonhoso ser negra,
    Era humilhante nascer negra,
    Apontavam e julgavam,
    Ainda criança a ofendiam,
    Olhavam esquisito,
    De canto de olho,
    Olhavam torto,
    Será que vai me roubar?
    A vida inteira repelida,
    Impedida de lutar,
    Teve que se casar,
    Casar com um branco para seus filhos não passarem pela mesma humilhação,
    Para a cor se misturar,
    E assim por diante ate a negritude sumir nos traços de seus netos e bisnetos,
    Mas casar-se com um branco?
    Isso é, se o branco lhe quiser,
    Sim porque as vezes o máximo que quer é a negra na sua cama,
    De pernas abertas,
    E boca fechada,
    Aberta só se for pra gemer,
    Mesmo que não seja de prazer,
    Fetiche do branco,
    Tesão do branco,
    Quer a neguinha pra lhe chupar,
    Pra sentar e lhe fazer gozar,
    E pobre da neguinha se reclamar,
    Tem é que agradecer,
    Por um cara branco lhe querer,
    Por ele querer trepar com você,
    Agradeça o favor.
    Era vergonhoso ser negra,
    Mas ainda é humilhante ser negra!
    Depender da pena dos outros?
    Isso eu não aceito não,
    Vergonhoso?
    Vergonha tenho de ter nascido em um mundo que ainda nos segrega,
    Nos chicoteia,
    Nos ofende,
    E nos mata,
    Não é vergonhoso ser negra,
    Se essa é a minha cor,
    A cor que a deusa me deu,
    A raça que ela escolheu,
    Não é vergonhoso ser negra,
    Vergonhoso é ser humano.

    Três Marias


    "Josielma Ramos"

    Três irmãs,
    Sem sorte no amor,
    Marias?
    Eram de dor,
    Do desamor,
    Do desfavor.

    Amavam demais,
    Sofriam demais,
    Se entregavam demais,
    E nessa de se dedicar demais,
    Se machucavam demais.

    Marias de dores,
    Filhas dos desencontros,
    Da ilusão,
    E Decepção.

    Maria morreu,
    Com uma rosa na mão,
    Um poema nos lábios,
    Sem amor no coração,
    Marias de dores,
    Três Marias sem amores.

    Essa Mulher


    "Josielma Ramos"

    Essa mulher já não é menina,
    Essa mulher perdeu toda inocência,
    Essa mulher esconde segredos,
    Essa mulher cansou de esconder desejos,
    Essa mulher tão jovem ainda,
    Essa mulher da pele preta,
    Essa mulher quer liberdade,
    Essa mulher quer igualdade. 

    Sem paciência pro seu blá, blá,blá...

    Créditos na imagem.
    Hoje acordei inspirada para escrever um texto daqueles sobre qualquer coisa fofa ou bonitinha, mas ai desanimei, é difícil escrever sobre qualquer assunto quando bate aquela Bad, desanimada com as pessoas ao meu redor, sociedade e afins, desanimada com a qualidade das conversas, com assuntos vazios e sem nexo, pessoas vazias...desanimada em saber que as pessoas se importam mais com o que a outra veste, onde frequenta e quanto ela gasta, do que o que ela fez para chegar ali, seu percurso, sua luta.
    Estou cansada de em rodinhas sorrir entre amigos sorrir e fingir que acho graça de suas piadas, quando na verdade o que eu mais quero é dar um soco na cara de cada um deles, pois estou cansada de ter que aturar piadas machistas, preconceituosas, ou homofóbicas, estou cansada de explicar que meu cabelo não é ruim e que eu não sou mulata ou morena e sim negra, estou cansada, cansada, cansada... 
    Chega um ponto em nossa vida que começamos a pesar nossas escolhas, se estamos no local certo na hora certa, estou passando por uma transição, sinto que tudo e todos são chatos demais, são poucas pessoas de conteúdo que se salvam dessa longa lista de superficialidade, são raras pessoas que conseguem me fazer sorrir, mas um sorriso verdadeiro, tirar de mim uma risada gostosa e sincera, tão poucas que dá pra contar nos dedos de apenas uma mão.
    E assim vou tentando sobreviver em um mundo superficial construído com aparências, tentando me desvencilhar do oportunismo e das mágoas que isso traz, acredito que não sou a única a pensar ou se sentir assim, acredito não estar sozinha se bem que as vezes estar sozinha seja um caminho mais sincero para encontrar alegria ou paz. 

    Antes da meia-noite

    "Josielma Ramos"

    Antes da meia-noite ela é uma menina,
    Produzida para ser perfeita,
    Feita sob medida,
    Para ser a futura mulher ideal,
    Mulher idealizada,
    Mulher criada nos moldes
    Transformada para ser o desejo de alguém.

    Antes da meia-noite ela calça os sapatos,
    Veste o vestido de baile,
    E coloca a fita no cabelo,
    Ela ainda é uma criança,
    Tão pura e tão meiga,
    Não sabe o que a espera atrás da porta.

    Antes da meia-noite ela olha pela janela,
    A lua está vermelha,
    Algo estranho está para acontecer,
    Ela olha no espelho,
    E não reconhece a própria face,
    Já não é mais a mesma de antes.

    O Ponteiro do relógio marca a hora,
    Já é meia-noite,
    E o tempo não volta atrás,
    Ela não tem para onde fugir,
    Já não é aquela menina,
    Tão simples e singela.

    Ela se transformou em um furacão,
    Sua boca se abriu em vulcão,
    Não se calou diante de nenhuma injustiça,
    Tornou-se dona de si,
    E não queria aquele futuro planejado,
    Tirou os sapatos e rasgou o vestido.

    Descobriu um poder sobre si,
    Descobriu a força emanar dela,
    Correu pela noite afora,
    Atrás da nova liberdade adquirida,
    Não olharia para trás,
    Não voltaria nunca mais.

    Oktoberfest 2015


    Olá galera, hoje vim contar para vocês um pouquinho de como foi minha viagem para Blumenau, viajei com minha prima e um grupo de amigos, compramos o pacote com a empresa Juca na Balada que organizou uma mega viagem muito top.
    Primeiro foi a ansiedade para o dia de viajar chegar logo e assim que chegou foi aquela alegria para arrumar as malas, metade do que coloquei não usei, incluindo os biquínis porque estava muito frio lá, e o pior era saber que tinha uma praia do ladinho do nosso hotel, saímos da Barra Funda à meia noite em ponto, e depois de mais de dez horas de viagem finalmente chegamos meio bêbados e cansados em SC, depois de procurar um lugar para almoçar fomos nos arrumar para conhecer a Vila Germânica, se não me engano foram quase duas horas do nosso hotel para a Vila Germânica, ônibus open bar e uma galera que depois de mais de dez horas de viagem já haviam virado amigos de infância.
    Pra completar esqueci meu ingresso no hotel (não podia passar sem essa né) na bilheteria não havia mais ingresso para vender e tive que recorrer a um cambista (e o medo do ingresso ser falso?) mas deu tudo certo no final e entrei na Vila Germânica (Depois de ser obrigada a cortar fila, né dona Rosângela?), e que fila... Já la dentro degustamos várias cervejas, comemos a famosa batata, e conhecemos muita gente divertida, fui atacada por alemães algumas vezes na fila do banheiro rsrs. Saímos da festa ás cinco da manhã e dormi a volta inteira, já no domingo tivemos o Churrasco do Juca na Balada, OPEN BAR é claro rsrs.
    O Churrasco aconteceu no Music Park e e era meio que uma confraternização de todos que viajaram por essa empresa, eu parei de contar no ônibus 16, nós eramos do ônibus 7 então podem imaginar que tinha muita gente, contrataram uma banda para tocar, teve tequileiros, comida e bebida a vontade e o que eu mais amei, sem fila para o banheiro, sério uma festa daquele tamanho e sem fila para o banheiro, o que mais eu poderia querer rsrs.
    Bem agora chega de falar, vamos ver as fotos mais leves da viagem kkkk.. (O que acontece na balada, fica na balada...hahah)













    Galera do ônibus 7
    Para quem quiser conhecer mais sobre a festa só acessar esse link: Oktoberfest a história
    E para quem quiser conhecer a empresa de viagens e eventos só acessar esse link: Juca na balada

    Ponte

    "Josielma Ramos"


    Ainda é cedo para mim
    Lá fora a chuva caí
    Estou em meio ao desespero
    Não estou mais em mim.

    Meu medo de cruzar a ponte
    Cresce a cada instante
    Mais será que é da ponte
    Esse medo constante?

    Sinto frios, meus pés descalços, estão gelados
    E não tenho ninguém para aquecê-los
    A noite escura cai, mas mesmo assim
    Ainda é cedo pra mim.


    "Poema do livro Visões Poéticas"

    Playlist de Domingo

    Matando a saudade das playlist's de domingo, hoje farei diferente, colocarei vídeos de músicas que tem tocado minha alma nesses últimos dias, apreciem.

    Chão de Giz - Zé Ramalho

    Garoto de Aluguel - Zé Ramalho

    Mulher eu sei - Chico César

    Prosa Impúrpura do Caicó - Chico César

    Sozinho - Caetano Veloso

    Gostava tanto de você - Tim Maia

    Malandragem - Cássia Eller

    Exagerado - Cazuza

    Depois - Marisa Monte

    Lanterna dos Afogados - Maria Gadu

    Ideologia - Cazuza


    Os 15 Trabalhos da Arqueiro



    Você está convocado!

    Fique de olho na fanpage da Editora Arqueiro e concorra a um livro por dia durante 15 dias e a prêmios incríveis no final da gincana!

    Super prêmios (final da gincana!):

    1º lugar: 1 iPad + 30 ebooks + 15 livros físicos
    2º lugar: 1 Kindle Fire + 20 ebooks + 10 livros físicos
    3º lugar: 15 livros físicos + Kit Especial "O despertar do príncipe" com livro

    Durante a gincana, todos os livros do catálogo da Arqueiro estarão com um desconto de 15% no site www.livrariacultura.com.br.

    Promoção do livro Visões Poéticas

    Olá galera, ainda esse ano estarei lançando meu novo livro, enquanto isso meu livro anterior está com uma promoção só essa semana, de R$32,00 está por R$29,00 reais, mas só essa semana, e só adquirindo comigo.

    O livro irá:
    Autografado
    Com marcadores
    E as pessoas que comprarem terão seus nomes nos agradecimentos do próximo livro que será lançado.

    Podem entrar em contato comigo através do e-mail: josielma_ramos@yahoo.com.br


    Serpente na grama

    Imagem: We Heart It
    "Josielma Ramos"

    Deslizava de mansinho pela noite afora, 
    Ninguém nunca a via,
    Ninguém a seguia, 
    Sempre escapava, 
    Sempre fugia.

    Seus cabelos escuros ficavam ocultos na fosca escuridão, 
    A cidade tão perto de seu abrigo,
    E toda sexta transformada para dançar, 
    Conformada que a maldição nunca iria se quebrar, 
    E fora esse dia sua liberdade se esvaia.

    Podia ser libertina, 
    Se divertir, 
    Se vingar, 
    Antes de ser banida, 
    Antes das cinco chegar.

    Essa bela mulher transfigurada, 
    Comum, 
    Excitava quem olhava,
    Seus cabelos volumosos caiam em uma cascata,
    Por suas costas nuas.

    Corpo esguio como de serpente, 
    Cobrindo sua nudez humana com roupas que não lhe pertenciam,
    E se jogava na noite, 
    E seduzia homens,
    E fazia vitimas.

    Tornou-se cruel e sem coração, era fria e sem paixão, 
    Em busca de vingança, 
    Amaldiçoada por transgressão de um homem, 
    Hoje um fantasma sem cabeça,
    Apenas sombra de seu passado.

    Amaldiçoada sem nem poder elucidar, 
    Amaldiçoada por amar.
    O tempo é efêmero, 
    Ela seduz com sua dança maligna, 
    Os leva para a floresta e no ápice do prazer faz sua vitima.

    Serpente na grama, 
    triste e vazia, 
    Amaldiçoando a raça que a amaldiçoou um dia,
    Serpente na grama com sua foice afiada, 
    Destruía seus medos e as cabeças cortava.

    Encantos

    Imagem: We Heart It
    "Josielma Ramos"

    Salpicado de areia e luar,
    Ela era fada,
    Que só queria dançar,
    Totalmente encantada,
    Flor D'água,
    Ninfa enfeitiçada,
    Atrás da bruxa malvada.

    Sexta-feira 13,
    Se encontram na clareira,
    Tentando voltar no tempo,
    Tentando impedir o tempo,
    Tentando salvar o amor,
    O amor que já não lhes pertencia,
    E que pouco a pouco morria.

    Era tudo questão de liberdade,
    Voltar em um tempo que não havia maldade,
    Fera ferida,
    Enfeitiçou,
    A machucou,
    Era tarde demais,
    Já não podia voltar atrás.

    Empoleirada no parapeito,
    Vestido em cetim preto,
    Morreu de braços abertos,
    Tão calmamente,
    Mas ela ainda está lá fora,
    Mesmo que nenhuma folha mais caia,
    Eu ainda a posso ouvir,
    Ela ainda espera por alguma coisa,
    Pelo seu tempo de matar.

    Um dia não nos lembraremos de nada disso!

    Fico aqui olhando por longos minutos para a tela do computador pensando em como começar esse texto, uma página em branco sempre traz inúmeras possibilidades, mas eu penso sobre o que escrever? Por onde começar? Tenho tido mil idéias, mas nada me parece bom ou aproveitável, tudo parece tão vazio, minha vida tem sido um misto de vazio e solidão.
    Posso parecer dramática falando assim, mas não tem sido fácil, eu pensei que nessa fase da minha vida eu estaria em uma posição diferente, provavelmente formada e trabalhando na área, passei a adolescência sonhando com um príncipe encantado que me salvaria e me carregaria nos braços, tola que fui, eles são mitos, assim como o pé grande ou papai noel, invenções de pessoas que tentam nos fazer acreditar em alguma magia, que existe algo bom, mas príncipes não são bons, eles buscam por princesas bonitas, perfeitas e educadas, aquele misto de qualidades que existem em diversas mulheres e eles esperam que exista apenas em uma, eu não sou e nunca fui perfeita, minha mãe me educou muito bem, mas as vezes dá preguiça de ser educada com algumas pessoas, beleza é uma coisa relativa, pois o que é belo para mim pode não ser assim tão belo para o amiguinho.
    Enfim tenho aquela esperança que antes dos trinta eu tenha alcançado pelo menos metade dos meus objetivos, a maioria dos que tinha para alcançar antes dos 25 foram realizados com sucesso, essa deprê que estou sentindo é recorrente, e ela sempre vai estar por aqui, alguns dias com mais força e outros eu nem irei senti-la, mas por enquanto o que me resta é sonhar com um belo futuro que chegue o mais próximo possível do que planejei, e se nada for como planejei, sempre terei minha rota de fuga, afinal, um dia nada disso importará, os problemas serão pequenos, e provavelmente nem me lembrarei que os tinha.

    Geni e o Zepelim - Letícia Sabatella (Chico Buarque)

    Estou apaixonada por essa interpretação divina, confesso que vi tanto esse vídeo essa semana que eu tinha a obrigação de postar ele aqui no blog.

    Desculpas

    Foto: We Heart It
    Olá viajantes rsrs...
    Sei que andei sumida aqui do blog e estava morrendo de saudades, aliás isso aqui é a minha vida, e acho que devo algumas explicações sobre esse sumiço, então vamos começar. 
    Acho que já devo ter comentado aqui no blog que estava em processo de divórcio, pois é infelizmente tudo nessa cidade é lento, tanto a advogada do meu caso quanto a juíza e mesmo depois de 4 meses e papelada assinada, meu divórcio ainda não saiu. 
    Fiquei com nada menos que duas DP's na faculdade no semestre passado, estava desempregada e dependendo de uma pensão do meu ex-marido, então tinha muita coisa na cabeça e muitas preocupações.
    Esse mês consegui um emprego e o salário é ótimo, vai dar pra me virar e não precisarei mais de pensão do meu ex, minhas aulas começaram então terei que me dedicar em dobro, estou com alguns planos e projetos novos que em breve contarei por aqui, mas que por enquanto são segredo.
    Acho que consegui resumir bem, tentarei planejar as postagens e deixa-las programadas para não ficar muito tempo sem postar nada por aqui.
    Quando a novidades, tenho algumas, além de ter passado mais tempo com minhas irmãs e sobrinhas, fiz novos amigos, tem realmente sido um ano agitado, engraçado falar disso, porque lembro das primeiras postagens que fiz esse ano, onde eu prometia que este seria o melhor ano, e depois confirmava dizendo que estava com tantos projetos no blog que achava que não daria conta, como de fato não tenho dado, e peço mil desculpas por isso, estou devendo algumas resenhas por aqui e prometo que no próximo mês estarão todas no ar.

    Então é isso, espero que possam perdoar minha falta de tempo, e prometo aparecer com mais frequência por aqui, nem que seja com as playlist's... Beijos e até logo.

    Nuvens podem ser tão belas quanto o sol.

    Foto:We heart it
    "Josielma Ramos"

    Sai pra fora,
    Olhe pela janela,
    A noite foi bela,
    E o dia nos aguarda.

    Mesmo sem sol,
    A tarde é bela,
    Então olhe pela janela,
    Mais uma,
    Duas,
    Três vezes.

    Olhe pela janela,
    A vida é uma janela,
    A vida é um entardecer,
    A vida é esquecer e enlouquecer.

    Mesmo sem sol as nuvens podem ser belas,
    Mesmo sem sol a vida pode ser maravilhosa,
    As melhores coisas acontecem sob a luz da lua,
    E mesmo que as nuvens a encubra, 
    Muitas loucuras podem acontecer.

    Então sai pra fora, 
    Vai curtir a noite, 
    Vai curtir a vida,
    Esquece que o sol existe,
    E se apaixone, ame as nuvens,
    Pois elas também são belas.

    Sobre gostar da solidão

    "Josielma Ramos"

    Ser solitário é um dom, muitas pessoas não compreendem o querer estar só, acham que ou você está deprimido, que precisa sair, precisa de companhia, tudo menos estar só, porque estar só é estar fadado ao fracasso e bem sabemos que todo mundo odeia fracassados.
    Porém o que muitos não entendem é, que sim é bom estar sozinho ás vezes, aquela tarde fria, você se tranca no quarto lendo um livro, ou senta no seu sofá para assistir um filme, ou mesmo ficar deitado na cama pensando na vida, isso é algo bom para nosso crescimento mental, porque a pessoa que não consegue ficar sozinha, também não vai conseguir viver bem acompanhada.
    E nem vale ficar trancado no quarto mexendo no celular, internet, facebook, whattsapp e todas as redes socias e aplicativos possíveis, porque ai também não é estar sozinho, vai ser apenas uma solidão física, pois os coleguinhas vão estar todos ali, provavelmente te chamando pra fazer alguma coisa.
    Não estou dizendo que devemos nos isolar de tudo e de todos, apenas que é bom tirar umas horas do nosso dia, ou algum dia da semana para sermos egoístas e cuidarmos de nós mesmos, da nossa mente, da nossa alma, da nossa vida, nos amarmos mais e não ficarmos dependentes de pessoas que as vezes podem nem querer a nossa companhia.
    Solidão é uma espécie de aprendizado, nem todos conseguem suporta-la e nem todos conseguirão vivencia-la de maneira boa, cabe a cada um descobrir o lado bom dela, eu já descobri e ela se tornou minha melhor amiga, é na solidão que escrevo meus melhores poemas, é nela que me surge a inspiração, é nela que me escondo quando estou triste e magoada, a solidão sim me faz feliz.

    Existem coisas piores que estar sozinho mas geralmente leva décadas para entender isso e quase sempre quando você entende é tarde demais. E não há nada pior que tarde demais.
    Charles Bukowski

    A barba e o beijo

    Imagem: We Heart It
    "Josielma Ramos"

    Era uma manhã tão tímida,
    O sol custava a sair,
    A preguiça mandava em mim.

    O cheiro de café e alcatrão mentolado estava no ar,
    O aroma cítrico,
    “Masculino”

    A maciez da barba me roçando,
    O beijo,
    Os olhos semicerrados,
    O sono.

    A boca vermelha,
    Tentação,
    Borrada,
    Da noite passada.

    Esgueirou-se até mim,
    Correndo riscos desnecessários,
    Em seu estado ébrio.

    Querendo-me em detalhes,
    Cada detalhe,
    Do meu corpo.

    Murmuro palavras que não lembrarei,
    Correndo o risco de ser,
    Beijada,
    Amassada,
    Apertada,

    Usada,
    Torturada,
    Amada.

    Fim de semana em Ubatuba

    Na sexta-feira viajei para Ubatuba, foram quatro horas de viagem saindo aqui de Santana de Parnaíba, eu nunca tinha estado lá antes e me encantei com o charme da cidade, as praias maravilhosas e o excelente atendimento de todos os restaurantes em que fui, gosto de gente que tem prazer em atender bem com um sorriso no rosto, nunca me senti tão em casa em um lugar como me senti em Ubatuba.
    Inclusive conheci uma tatuadora muito simpática e criei coragem para fazer minha primeira tatoo, fiquei no hotel Itamambuca eco resort, um paraíso total, nem dava vontade de sair lá de dentro, com uma praia particular linda, então vamos as fotos dessa viagem encantadora.
















    Fotos acima são do Hotel onde fiquei hospedada, a praia fica no deck dentro do resort, uma visão linda, fiquei apaixonada pelo hotel, uma pena que não consegui conhece-lo todo, pois não fiquei muito no hotel, fui conhecer as praias da cidade.




    Praia do cedro, é uma praia pequena porém linda, um lugar um pouco difícil de chegar, mas a caminhada valeu muito a pena, fiz top less lá rsrs, sim tive essa coragem, porém fui proibida de postar fotos, então né... tenho que obedecer minha mãe :)








    O hotel tinha um ótimo atendimento, me senti super em casa, o lugar era lindo, me senti em um verdadeiro paraíso, o café da manhã uma delícia, acordar e ouvir os pássaros cantando é magnifico.





    Fotos acima da Praia de Santa Rita, uma praia que fica dentro de um condomínio, porém é aberta a visitação pois praias são lugares públicos, uma das praias mais limpas e lindas que já vi, também fiz top less lá, porém nada de fotos rsrs.



    Depois da praia de Santa Rita fui para a praia do Sununga que me foi indicada por um amigo do facebook que mora em Ubatuba, infelizmente não o conheci na minha viagem, mas a dica foi maravilhosa, conheci a gruta que chora e fiquei encantada, não dá pra ver na foto, mas cai água da entrada da gruta quase como se fosse chuva. Na foto acima a melhor caipisaque que já tomei, de Morango, amora e hortelã.




    Depois da praia do Sununga fui conhecer a cachoeira do Ipiranguinha, confesso que já estava tarde e muito frio, só entrei mesmo com a água até o joelho ara tirar foto, estava super gelada, não aguentei ficar ali dois minutos rsrs








    Curti meu fim de tarde no deck do hotel e até comecei um poema novo, as ideias não param nem quando estou de férias rsrs.





    Sim, tomei coragem para fazer uma loucura que sempre foi meu sonho, fiz minha primeira tatto, um poema meu que estará no meu próximo livro, fiquei impressionada com a delicadeza da Karen a tatuadora, se quiserem conferir o trabalho dela e conhece-la o instagram dela é: @karenlestaky 


    A Noite fui jantar em um restaurante japonês no centro de Ubatuba, só vou ficar devendo o nome do lugar, porque esqueci de olhar.













     No domingo acordamos bem cedo e fomos ao mercado municipal de pescadores comprar peixe e camarão, depois fomos conhecer o artesanato de Ubatuba e voltamos ao hotel para fazer o Check-out.

    Fiquei muito gorda nessa foto, mas tive que postar kkkk, sim estou dirigindo hahaha, saiam das ruas que em breve estarei habilitada  Urhuuuuulll.



    E como tudo que é bom dura pouco, era hora de voltar para casa depois de três maravilhosos dias em Ubatuba, já estou ansiosa para voltar e conhecer tudo que tenho direito rsrs.


     
    Copyright © Como vejo o mundo | Blog | Todos os direitos reservados | Desenvolvimento por VR DESIGN :: VOLTE AO TOPO