• Home /
  • Sobre /
  • Contato /
  • Categorias
  • O meu estuprador...

    "Josielma Ramos"

    O meu estuprador talvez seja aquele senhor que faz bicos de pedreiro nas casas dos vizinhos, aquele que meu pai contratou para reformar uma parede lá de casa, ele me tocou quando eu tinha oito anos, apenas tocou com aqueles dedos imundos, será que isso é estupro? Eu não queria que ele me tocasse, eu não sabia o que ele estava fazendo, e fiquei com medo de contar para minha mãe.
    O meu estuprador talvez seja o meu vizinho, o marido da melhor amiga da minha mãe, aos doze anos eu cuidava do bebê deles durante o dia, e o marido dela chegava primeiro, quando eu ia levar o bebê no momento da troca de colo ele tocava meus seios, eu não dizia nada, apenas ia embora correndo, todos os dias durante um tempo, até que disse para minha mãe que não tinha mais paciência para cuidar do bebê, será que se eu contasse para minha mãe ela acreditaria? Eu nunca saberia, pois tinha medo de contar.
    O meu estuprador talvez seja o rapaz com quem perdi minha virgindade, eu disse não e mesmo assim ele me forçou, namorei com ele, porque cresci com minha mãe dizendo que nunca arrumaria um marido não sendo virgem, “Que homem vai te querer se você já foi de outro” dizia ela, e me forcei a um relacionamento longo na esperança de um dia me casar com ele, porque se ele terminasse comigo com certeza nenhum outro iria me querer.
    O meu estuprador talvez seja o cara que passa e buzina toda vez que faço caminhada, ou o que me chama de gostosa quando passa por mim na rua, ou o que me beijou a força em uma festa, ou talvez o que me encochou dentro do ônibus, o meu e o de tantas meninas que nem se descobriram ainda, talvez não tenham onde se apoiar, talvez viverão o resto de suas vidas com medo e se escondendo, com medo de qualquer sombra que passe por elas, irão olhar todos os rostos, em busca de nunca mais encontrar o seu estuprador.
    Não eles nunca serão os “Meus” estupradores, são apenas homens que tentaram me resumir a nada e que não tiveram sucesso nisso, sou mulher, sou forte, sou única, ninguém me faz mal se eu não permitir, ninguém me faz ser menos do que sou se eu não deixar e nunca deixarei.
    Comentários
    12 Comentários

    12 Comentários:

    1. Josi, que texto maravilhosamente chocante. Engraçado que acabei de ver uma campanha sobre violência domèstica e entro aqui no seu blog com esse texto aqui. Não podemos deixar nunca que criaturas imundas como essas tente no resumir ao nada. Fui salva uma vez de passar por isso. E me encontrei em seu texto. Abraços linda.
      http://sabrinaikeda.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Pois é Sabrina, eu participo de um grupo em que muitas meninas desabafam exatamente sobre isso, ultimamente tenho visto tantas coisas acontecendo que me entristecem, não desejo que ninguém passe por nenhum tipo de situação forçada, sei que não posso fazer muito pra mudar o mundo, mas tentar conscientizar já é fazer alguma coisa não é?
        obrigada pelo recadinho.
        Beijos.

        Excluir
    2. Que texto forte, dói cá dentro da alma, faz descer lágrimas na face, talvez, quem sabe, por todas as mulheres ancestrais que já tiveram um estuprador. que coisa mais cruel para ter, que coisa mais cruel para lembrar; mas é isso que muitas mulheres têm... muitas meninas...
      O texto é intenso e um punhal cravado na alma de muitas mulheres... a leitora sangra.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Obrigada Lilian, seu comentário expressa a dor que senti ao escrever esse texto, uma pena que não seja apenas um texto de ficção e sim uma realidade constante, sangramos ao ler, mas a alma de quem já foi abusada sangra mais ainda.
        beijos

        Excluir
    3. Que texto incrivel, não tenho muito o que comentar, pq sou homem e não passo por esse tipo de angustia que vcs mulheres passam em sair na rua e serem "elogiadas" por caras que acham que vocês são só uma "bunda bonita", Enfim, tá incrivel, a leitura flui de uma maneira incrivel, guria vc manda bem!

      Abraços
      http://des-construindooverbo.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Obrigada Erick,
        São coisas que as mulheres sofrem, mas enfim ainda acredito que o mundo pode mudar, que tudo vai melhorar.
        beijos e obrigada pelo seu comentário :)

        Excluir
    4. Oii, tudo bem?
      Belo texto. Infelizmente existe muitas mulheres que se deixam abater por essas coisas ainda. Triste.
      Bjs

      A. Libri

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Realmente, são coisas que podem destruir uma pessoa por inteira, muitas mulheres são frágeis ainda e não sabem a imensa força que tem dentro de si, tenho esperança que um dia elas descubram.
        beijos

        Excluir
    5. Eu to a meia hora olhando para o computador tentando formular alguma coisa coerente para escrever aqui. Tudo que eu vi foi verdades de muitas mulheres que lutam contra essas batalhas todos os dias e nem se reconhecidas são.
      Beijos

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. É um texto fácil de ler, mas difícil de engolir, é uma realidade que eu gostaria que fosse mentira, mas infelizmente é assim que é.
        obrigada pelo comentário.
        beijos

        Excluir
    6. Oláá
      Cara, eu não tenho nem o que falar, eu até salvei o texto, ficou sensacional, sério, é impossível nenhuma mulher se identificar com cada palavra escrita ai, e adorei a sua iniciativa de falar sobre um assunto polêmico que precisa ser discutidos.
      Sensacional, sem mais.

      http://realityofbooks.blogspot.com.br/
      Catharina
      Beijos

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Obrigada Catharina,
        realmente é um assunto que deve ser debatido, infelizmente ainda é um assunto que machuca muitas mulheres.
        beijos

        Excluir



     
    Copyright © Como vejo o mundo | Blog | Todos os direitos reservados | Desenvolvimento por VR DESIGN :: VOLTE AO TOPO